domingo, 29 de maio de 2011

Floripa Letrada tem grande aceitação entre usuários do transporte coletivo


70 mil livros e revistas já foram colocados à disposição da população da grande Florianópolis.

Pela leitura é possível conhecer outros lugares, outras pessoas e outras culturas. O mais interessante é que para isso não precisamos sair de onde estamos. A leitura é fundamental para o estímulo da criatividade, para o enriquecimento do vocabulário e também para o entretenimento. É com esse intuito, que desde agosto de 2010, as secretarias municipais de Educação e de Transportes disponibilizam aos usuários de ônibus o “Floripa Letrada – a palavra em movimento”, colocando livros e revistas de forma gratuita nos terminais da Capital. O projeto tem o apoio da Cotisa e da indústria de móveis Focus.
Com 70 mil obras já distribuídas para a população, a iniciativa ganhou a aceitação do público. Para o escultor e artista plástico gaúcho, Roberto Henrique Klein, radicado em Florianópolis desde 1991, o projeto é interessante, pois a leitura no ônibus encurta o caminho a ser percorrido. Outra participante do projeto é a professora de artes Maria Madalena Zago. “Já contribui um monte. Sempre coloco revistas e livros nas estantes. Essa iniciativa foi uma das melhores coisas que ocorreu na vida cultural da cidade”, comenta.
A estudante de artes visuais, Renata Galletta, acha que além de participar, fazendo doações, é importante que as obras sejam devolvidas. Assim os livros e revistas serão lidos por um maior número de pessoas. “Outro dia peguei um livro aqui, gostei muito, mas sei que não posso ficar com ele, por isso estou fazendo a devolução”, conta.
Identificação
Além do carimbo Floripa Letrada, as obras do projeto são identificadas pelo selo de Venda Proibida. Essas marcas tem o objetivo de impedir que livros e revistas sejam negociados em sebos. Grande parte de proprietários desses locais também fazem sua parte, comunicando à Secretaria de Educação do município quando alguém tenta comercializar as obras nos estabelecimentos.
Distribuição
Os terminais de ônibus são abastecidos de livros e revistas todas as semanas, no período da tarde. No terminal do centro (TICEN), há a reposição de materiais às segundas, quartas e sextas-feiras. No terminal de Canasvieiras (TICAN) e terminal do Rio Tavares (TIRIO), os livros e revistas são postos nas terças e quintas-feiras.
A Secretaria Municipal de Educação quer ampliar o projeto para os terminais da Trindade (TITRI) e da Lagoa da Conceição (TILAG).
Como funciona
1. É só pegar a obra nos expositores (estantes) de um dos terminais do projeto.
2. Se desejar, leve o livro ou a revista para ler durante o trajeto da sua viagem.
3. Outra opção é levar a obra para ler em casa.
4. Depois, devolva em um dos expositores e dê a oportunidade para que outras pessoas também possam ler.
5. Para aumentar o número de obras, faça doações. É só ligar: (48) 3251-6100. A cidade e a cultura agradecem.

Nenhum comentário: